Orquídea Azul

Orquídeas azuis: tudo o que você precisa saber

orquidea azul

Para quem gosta do mundo das flores e afins, certamente já se deparou e ficou encantado com a variedade das orquídeas, que podem se apresentar de várias formas e todas elas lindas e exuberantes. Além disso, existem diferenças em sua composição. Algumas são litófitas, buscam nutrientes pelo ar e água da chuva, crescendo em cima de rochas; outras são epífitas, se alimentam dos nutrientes da própria árvore a qual se instalam. Essa diversidade que encanta a todos nós e que também pode ser também produzida em laboratórios vem sendo cuidadosamente estudada e analisada, tendo em suas pesquisas importantes retornos. Aqui nós vamos entender um pouco mais sobre este vasto mundo, dar algumas dicas e curiosidades, e, é claro, falar sobre a orquídea azul que enche os olhos de tantas pessoas com tamanha beleza.

Um pouquinho de história da orquídea

 

Alguns relatos trazem que as orquídeas têm em média 85 milhões de anos de existência, que já apareceram em escritos gregos há 25 mil anos atrás e que também já foi digna de intensos estudos através dos séculos. Isso se deve ao fato da forma que elas se desenvolvem, e despertando curiosidades dos cientistas pela versatilidade desta planta: ela pode se desenvolver em rochas e em árvores sendo impossível não notá-las ao passar por elas. Relatos trazem que os chineses a usavam para fins medicinais, resolvendo problemas mais simples, até os mais complexos, servindo para inchaços, feridas e até quadros de infecções.

Outros já consideravam a planta afrodisíaca, e até como símbolo de sabedoria e virtude, tendo o seu aroma característico usado para as mais diversas finalidades, atendendo a grande parte da população e dos povos que se debruçaram em seu estudo. De qualquer maneira sempre foi uma fonte de inúmeros questionamentos devido às suas características complexas e ao mesmo tempo tão marcantes. Por isso testes passaram a ser feitos, visando aumento em suas características primordiais, aperfeiçoamento de outras.

E daí que surgiram outras formas híbridas de orquídeas. Surgiram, também outros tipos, naturais, porém com algum tipo de manipulação. Uma dessas modificações deram origem à orquídea azul, ou blue mystic. É o que finalmente vamos falar, de onde veio, qual o seu segredo, além de dicas de cuidado e decoração para a sua casa. São dicas muito importantes já que é uma flor sensível, portanto é muito importante que preste atenção à todas as dicas dadas. Sem mais delongas, vamos falar sobre esta maravilha da natureza, com um empurrãozinho da mão humana.

Orquídeas azuis: história, dicas de cuidado e dicas de decoração

 

 

Nós já falamos de toda a história da orquídea, de forma bem enxuta e agora poderemos focar somente na orquídea azul, ou a blue mystic, que encanta com o seu charme e beleza. Na natureza não existe essa forma de flor, então como foi possível a sua produção? Alguns acabam recorrendo a tintas para dar a coloração desejada. Mas será que ela já pode se desenvolver com tais características?

Um dos métodos que são utilizados surgiu nos Estados Unidos da América (EUA) e consiste em uma injeção de tinta azul no caule de orquídeas brancas. No entanto, a tinta utilizada não é tóxica, e por consequência não causa malefícios à planta. Esse é um ponto importantíssimo para criação de orquídeas azuis em laboratório. Tem de se pesquisar profundamente qual o tipo de substância mais adequado para a produção, caso contrário, a planta não consegue sobreviver.

Outra técnica tem utilização preponderante no Brasil e se trata de uma injeção de substância azul antes que a planta germine. Quanto esta germina absorve consigo a substância, gerando a coloração desejada. Esta técnica foi desenvolvida pelo engenheiro agrônomo Marcos Alexandre e é uma das técnicas que são mais utilizadas mundo afora. Todas essas técnicas podem conter resultados adversos.

Um fator interessante é que ao juntarmos as diferentes técnicas com as diferentes formas e composições das plantas os resultados podem ser os mais variados possíveis, dando ainda mais variedade nas formas das plantas. Algumas podem ser mais azuladas que outras; outras podem não absorver nenhuma tonalidade. Ou seja, mesmo com o uso de uma técnica de intervenção humana, não se pode ter certeza do resultado obtido.

Importante ressaltar que em alguns casos, a coloração se aproxime de um roxo ou de um azul muito fraco,  podendo variar a ponto de os resultados não serem previsíveis e surpreender em sua amostra final. Isso ocorre devido ao fato de o sistema de filtragem da planta funcionar de forma diferente em casos determinados. Mesmo analisando cuidadosamente sua forma, não é possível prever como a mesma irá se comportar.

O azul puro infelizmente não é possível, mesmo tendo em vista todas as técnicas de controle que dispomos. Mas, ao mesmo tempo, é o que dá o charme especial da flor que pode vir de maneiras inesperadas.

A pergunta que paira é: mas a orquídea azul não é azul?

Calma, apesar de não se ter o azul puro as tonalidades possíveis tornam a flor mais exuberante ainda, podendo ser combinada de modo a gerar um efeito de cores (nesse caso de azuis) incríveis. Tudo vai depender da sua imaginação na hora de combinar os tons ou de distribuir pela casa. Com certeza um arranjo bem arrumado e montado pode fazer a diferença, e inclusive embelezar seu ambiente. Por isso é fundamental saber como colocar e onde colocar o seu arranjo, tendo no final um resultado incrível e isso sem precisar da homogeneidade das cores, muito menos combiná-las entre os espaços.

É justamente a diversidade que surpreende e nos salta os olhos. Por isso é fundamental entender e abstrair que quanto mais diferente pode ficar mais bonito, chamar muito mais atenção, além de ser menos monótono. As diversas possibilidades das orquídeas azuis podem ser exploradas em hospitais, clínicas, festas e até na decoração de casa podendo enfeitar a maior parte dos ambientes, sem distinção. De um modo geral a cor azul transmite confiança e conforto. É uma cor tão poderosa que pode harmonizar um ambiente e ornamentar uma simples sala de estudos, dando a ela um toque mais que especial.

Ela é tão versátil que pode compor uma mesa de jantar. Nesta opção o seu diferencial é a presença marcada pela sua cor, além da beleza e de sua harmonia transmitidas. Uma ótima pedida para este tipo de decoração. Um simples cantinho com uma orquídea azul pode dar um charme mais que especial, ainda mais se ela estiver próxima a um conjunto de louças brancas, o retoque essencial para embelezar o ambiente. Se engana quem pensa que só de louça vive a orquídea azul. Além de combinar em vasos largos, ela casa super bem com detalhes metálicos. O que dá um leque muito maior que o esperado.

Outra dica importante e que dá um toque especial em seu ambiente é que com outras plantas, de outras colorações, dá um destaque bem tropical, sendo uma decoração muito interessante para o seu tipo de ambiente ou até de acordo com a estação do ano, já que com flores brancas ela dá aspectos do clima frio. Elas podem também serem cultivadas em recipientes espelhados ou de vidro, dando muito mais opções de decoração, além de terem mais opções para cultivos. Outro fator importante é que elas não têm época específica. Sabe aquela decoração no lavabo? Então, ela combina muito. É uma opção bastante interessante para decoração também, desde que se atente para a circulação do ar, umidade e luminosidade natural.

O criado mudo também é um local onde compõe bem aumentando as formas e locais de acesso. Assim como no caso anterior, algumas condições básicas devem ser consideradas, visando sua presença por mais tempo. As proximidades de janelas também são lugares que podem receber a orquídea azul, tendo as mesmas ordens respeitadas de cuidado para que possam durar por mais tempo e embelezar ainda mais o ambiente. Elas também podem ocupar espaços de festas despojadas e espaços que levem a reflexão, só depende mesmo do bom gosto e das combinações corretas feitas por quem deseja realizar a decoração.

Tanta versatilidade também exige muito cuidado e atenção ao misturá-las com outras plantas, já que uma combinação mal feita pode esconder a beleza que tal flor pode oferecer ao ambiente. E como já dito, não é só a beleza que está em jogo: a sobrevivência, a harmonia, o propósito, tudo isso está a postos quando se decide usar uma orquídea azul como decoração para sua casa, estabelecimento ou festa. Tanta pompa exige cuidado. É preciso estar atento ao modo como você cultiva e cuida do desenvolvimento da sua flor. Não adianta somente colocar em um lugar, é preciso bastante cautela.

Como já foi dito, esta é uma flor muito sensível, e, pensando em sua alteração desde antes de a germinação, sua sensibilidade aumenta consideravelmente já que a natureza foi modificada. A mesma delicadeza que oferece diversos tons de azuis, ou até outras cores, é a mesma delicadeza que ela exige. Ao se ter uma orquídea azul em casa é bom pensar em estratégias simples e eficazes para a sua durabilidade e beleza.

Os cuidados exigidos por ela são bastante simples, porém precisam de muita atenção pois fazem toda a diferença no que diz respeito à beleza e à qualidade da mesma, então aqui vão breves dicas de como cuidar melhor de sua orquídea azul. Elas precisam ser regadas de uma a três vezes na semana, sem muito exagero e com água de poço ou mineral. O ideal é que seja regada pela manhã, quando ela extrai o maior número de nutrientes.

Águas de caixa ou da torneira podem fazer mal à planta por conterem cloro, elemento que é altamente prejudicial e tóxico, tendo que ser evitado a todo o custo, fazendo opção por águas mais naturais, sem adição de conservantes. É importante estar atento ao clima, pois estando muito quente é necessário borrifar um pouco de água para que ela possa se desenvolver normalmente e embelezar o ambiente por mais tempo.

O banheiro é um lugar em que deve ser evitada por conta do excesso de umidade. Lembre-se: por ser muito delicada, não permite nenhum excesso, nem de umidade, de de falta dela. Ela pode ser colocada, de preferência em locais com iluminação natural, próximo à janelas, porém, sem a incisão direta do sol por muito tempo, sendo o horário da manhã e o final da tarde o mais adequado para isso. Como qualquer vegetal é natural que algumas pragas possam aparecer e acabar com todo o seu trabalho. No caso da orquídea azul podem ser usados pesticidas naturais ou inseticidas orgânicos.

Quanto mais natural for a opção mais saudável para a planta se desenvolver, mantendo longe pragas que costumam atacar. Por isso, é importante também estar atento sempre à sua planta, para que nada a estrague. Bom, essas foram dicas para cuidar de suas orquídeas. Ter o máximo de atenção à elas é essencial já que dependem muito da qualidade do ambiente. Em outras palavras, para se ter uma orquídea, é preciso planejar e preparar todo o ambiente para ela. Além disso também foram dadas dicas de decoração, para que o máximo de beleza possa ser explorada, e foi observada a pluralidade dessa flor, podendo embelezar diversos locais dentro de casa ou até no local de trabalho.

É sempre bom lembrar dos cuidados permanentes que se deve ter, caso você a queira por o maior tempo possível, então checar se o lugar está bem arejado, se precisa de água ou se necessita de sol, são dicas essenciais para a sua durabilidade. Ter uma orquídea azul embelezando o ambiente é de extrema delicadeza, podendo dar leveza ao ambiente e destaque, devido às suas cores vibrantes que combinam com quase todo espaço. Saber cuidar e conservar uma orquídea te dá, consequentemente, sensibilidade suficiente para alocá-la em um bom ponto e que este possa ser porta de entrada ou simplesmente compor um lugar para concentração e tranquilidade.

Se interessou por uma? Os orquidários costumam oferecer junto com kits de cuidado e bastante dicas. Vale a pena ou não ter uma orquídea azul para a sua casa?